Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Champagne Choque

Champagne Choque

LIVROS | O que li no verão

Agora que o verão acabou e se instalou oficialmente o outono, é altura de fazer o balanço dos livros lidos nos meses quentes. Foram boas leituras, no geral. Acho que podia ter lido mais, mas tendo em conta que passei Julho quase sem ler (é isso que chamam ressaca literária?) estou feliz com as leituras que fiz. Até porque no verão sabe bem ler devagar, sem pressas, na praia, na piscina, na esplanada ou em qualquer cantinho ao ar livre. 

 

livrosverao5.jpg

 

Boneca de Luxo - Truman Capote 

Um clássico moderno, publicado em 1958, que deu origem ao "Breakfast at Tiffany's", um dos filmes mais famosos de Hollywood, muito devido à interpretação de Audrey Hepburn. Foi o primeiro livro de Truman Capote que li. Gostei da história. Gosto de personagens femininas com personalidade, meias loucas, que não deixam ninguém indiferente. Mas senti falta de alguma coisa. Senti que faltava aprofundar certas partes da história, dar-lhes mais peso, mais tempo, mais pormenores. Também não gostei da edição que li (da Colecção Mil Folhas lançada pelo Público). Quero ler o original, em inglês, e ver as diferenças. Gostei mais do filme, não só por ter um final completamente diferente do do livro, mas porque me cativou mais. 

 

À noite logo se vê - Mário Zambujal

O meu primeiro contacto com Mário Zambujal. Ganhou uma fã. Que livro divertido! Daqueles que dá gosto a ler, que nos põe bem-dispostos. A estória ganha vida pela forma como Zambujal escreve. Faz-nos rir do insólito da vida comum, das personagens e dos hábitos muito "à portuguesa". Li nesta edição antiga (a primeira!) que os meus pais tinham em casa e aconselho muito para quem quer combater dias enfadonhos. Já tenho mais dois livros dele à espera. 

 

60 sonetos de amor - Florbela Espanca 

Adoro a Florbela Espanca e de tempos em tempos volto aos seus poemas. Desta vez nesta edição pequenina que junta 60 sonetos de amor e uma carta dela ao seu irmão, em 1923. Não deixem de conhecer a poesia desta alma atormentada, inquieta e cheia de sofrimentos, que tão bem os soube transformar em poesia. 

 

A Guerra dos Tronos (Crónicas de Gelo e Fogo) - George R. R. Martin 

Dispensa apresentações. A série televisiva é uma das minhas preferidas de sempre. Quando acabou a quinta temporada quis voltar a um Westeros onde os Stark ainda estivessem todos vivos e, por isso, comecei a ler o primeiro livro das Crónicas de Gelo e Fogo. Não tenho pressa de os ler todos. Por enquanto li este, hei-de ler o segundo num futuro próximo, mas com calma, até porque ele também tem todaaa a calma do mundo a escrevê-los. 

 

O Grande Gatsby - F. Scott Fitzgerald

Um clássico da literatura norte-americana, publicado em 1925. Esta edição traz uma mini biografia de F. Scott Fitzgerald. Já conhecia partes da história dele, mas foi interessante saber mais, antes mesmo de ler o livro. Ficamos a perceber que o próprio Gatsby tem muito de Fitzgerald, assim como a Daisy tem das mulheres que ele amou. Vi o filme com o DiCaprio quando saiu, há uns anos. Não consegui deixar de imaginar os atores enquanto lia o livro. Gostei muito, mas não acho que esta edição do Clube do Autor seja a melhor. Li partes do original e de outras edições em português, que estão traduzidas de forma mais interessante. Mas o livro vale muito a pena e se ainda não viram o filme, leiam o livro primeiro. 

 

Mataram a Cotovia - Harper Lee 

Livro incrível! O que mais gostei este ano, com entrada direta para a lista de preferidos. Foi publicado em 1960, ganhou o prémio Pulitzer em 1961 e foi adaptado ao cinema em 1962. Hoje é uma das leituras obrigatórias em escolas norte-americanas.

A estória é narrada pela Scout, uma miúda de 8 anos, que vive com o irmão e o pai, um advogado viúvo, em Maycomb (cidade fictícia no interior do Alabama). Passa-se nos anos 30, numa sociedade racista, preconceituosa e conservadora. Acompanhamos a jornada de crescimento da Scout e do seu irmão Jem, na forma como, da pior maneira, começam a compreender a lógica e as injustiças da vida e das regras sociais, principalmente quando o pai é destacado para defender o caso de um negro acusado de violar uma menina branca, de uma das famílias da cidade. Não quero contar muito sobre a obra, porque é daquelas que tem mesmo que ser lida. A narrativa é deliciosa e a história é emocionante. 

 

O Mensageiro - Andy Andrews

Este era daqueles livros que tinha na estante, não sei já há quanto tempo, nem sequer quem mo ofereceu. Foi editado em Portugal em 2010, por isso deve ser desde essa altura. Diz que é best seller do New York Times (aquela gente não sabe mesmo o que é bom!). "Enquanto alguns nasceram para cantar e outros correm velozmente, eu reparo em coisas a que os outros não prestam atenção", um excerto na contra-capa. Achei curioso. Decidi ler. E não era nada do que estava à espera. Achei a escrita fraca, o storytelling terrível, as personagens pouco trabalhadas e o pior de tudo: parece um livro de auto-ajuda disfarçado de romance. Levou duas estrelas apenas porque, em alguns momentos, tem algumas reflexões interessantes e foi isso que não me fez desistir ao fim dos primeiros três capítulos. Não recomendo. 

 

E vocês, o que andaram a ler no verão?

 

8 comentários

Comentar post

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Mais sobre mim

foto do autor

Blogs Portugal