Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Champagne Choque

Champagne Choque

Querida Jessie Ware

O nosso primeiro e único encontro foi em Londres, em setembro (ou outubro) de 2013, completamente ao acaso. Foste dar um concerto numa festa onde estava a fazer reportagem. Fiquei hipnotizada com o teu carisma em palco. A partir daí nunca mais me saíste da cabeça - e dos ouvidos - e andas sempre comigo no iPod dia e noite. Vais hoje ao Alive. E eu estou a cortar os pulsos porque não te vou ver. Não me leves a mal, é que não dá para tudo. Já disse a quem vai hoje ao festival que não pode perder o teu concerto. Porque além da tua encantadora voz tão própria, tens uma personalidade em palco que vi muito poucas vezes na vida. Break a leg!

lolla_blog_004.jpg

 

 

 

 

 

 

Atualização: fiquei a saber entretanto que o concerto dela foi cancelado por "motivos logísticos" seja lá o que isso for... Pronto, já não estou tão desgostosa. 

 

Chet Faker

Ele está cá. Vai hoje e amanhã ao Coliseu de Lisboa. Vai no próximo sábado ao Alive. E eu não vou vê-lo de nenhuma das vezes e estou a cortar os pulsos por causa disso. 

 

Sou cliché. A minha música preferida dele é a "Talk is Cheap". Ouço-a 76 vezes seguidas, se for preciso, sem me fartar. É daquelas músicas que nos aquece a alma quando está frio e que nos dá um friozinho na barriga quando está calor. É daquelas músicas que reforça a ideia de que não conseguimos viver sem música. 

 

 

 

Quem as viu e quem as vê

O David Beckham fez 40 anos e decidiu comemorar a data com um festão este fim de semana. Eu não pude ir porque queria passar cá o Dia da Mãe, mas liguei-lhe no dia e mandei-lhe um beijinho em nome de todas vocês. Ele disse que para o ano convida a vizinhança sapeira toda. 

 

Bom, já se sabe que aquilo foi uma reunião de gente famosa, mas confesso que o meu coração bateu mais forte quando vi as Spice Girls. Todas juntas, 15 anos depois. (beijinho Sandra com 13 anos)

À falta da Mel B, juntou-se a Eva Longoria e olhem bem para isto: 

spicegirlsnow.jpg

Sou a única a achar que não envelheceram nada e estão muito mais bonitas (e muito menos pimbas)? Já estou aqui a cantarolar I wanna really, really, really wanna zigazig ah e a querer saltar da cadeira para dançar o swing it, shake it, move it, make it, who do you thing you are, com o dedo espetado e cara de má. Ai saudades. 

 

Venham as Taylor Swifts, as Miley Cirus, as Arianas Grandes que vierem, nunca ninguém vai bater as Spice Girls. Depois de publicar o post volto a ter 27 anos. 

spicegirls.jpg

O azul turquesa invadiu as redes sociais

Se têm o hábito de acordar e ir espreitar logo o facebook, instagram e twitter já devem ter reparado que vários perfis foram invadidos pelo azul turquesa. Um movimento que contagiou, por exemplo, os Coldplay, Rihanna, Beyoncé e Kanye West. O que é que estas celebridades têm em comum? A música. Porque é que está tudo louco com o azul turquesa? Eu explico.

beyonce-tidal.jpg

large (1).pngToda esta loucura não foi mais que uma estratégia de divulgação e promoção da grande novidade do dia de ontem: o lançamento do TIDAL, uma aplicação ao estilo do Spotify. Aliás, o Spotify que se ponha a pau porque ganhou aqui um rival de força. Ainda para mais, quando quem está por trás deste novo serviço de streaming de música é nada mais nada menos que Jay-Z. E tem ainda embaixadores de peso como Madonna, Alicia Keys, Daft Punk, Calvin Harris, Nicky Minaj, Chris Martin, Usher, entre outros, que comandam também as tropas da nova aplicação. Vejam o vídeo de lançamento onde se explica um bocadinho da essência do TIDAL:

 

"Every great movement started with a group of people being able to get together and really just make a stand." Beyoncé

 

Com milhões de músicas e milhares de videoclips à distância de um click, o TIDAL está disponível em cerca de 30 países, incluindo Portugal. A página de facebook desta aplicação acabadinha de sair do forno já vai com cem mil likes, assim em poucas horas, e a hashtag #TIDALforALL está entre os assuntos mais discutidos do Twitter.

tidal_01.jpg

 

O lançamento, ontem à noite, foi assim:

tidal10.jpgtidal11.jpgtidal6.jpgtidal5.jpg

ri-madonna.jpg

ali-ni-bey.jpg

fotografia 1 (2).PNGfotografia 5.PNGfotografia 1 (1).PNG

Imagens: Google / Instagram

 

A parte menos boa é que custa 13,99 €/mês. É mais caro que o Spotify mas, diz quem sabe, que a qualidade sonora é superior. Além disso, tem também conteúdo editorial, com entrevistas e reviews, consegue identificar músicas que estejam a tocar (como faz o Shazam) e consegue executar músicas mesmo sem ligação à internet. Claro que já há uma onda de indignação por esta internet fora de pessoas contra o preço ou que nem sequer concordam que se pague pela música. 

 

Se têm muita curiosidade para experimentar corram e aproveitem porque, ao que parece, os primeiros 7 dias são grátis.